RPPS de Mato Grosso conseguem finalizar processo de aprovação da associação regional

A criação da Associação das Entidades de Previdência do Estado e Municípios Mato-grossenses (Apremat), cujo pedido de registro foi protocolado em cartório em julho de 2017, foi concluída em junho de 2018 e a entidade passa a ter existência legal, com CNPJ e estatuto.

Segundo a presidente da Apremat, Luana Piovesan, que também ocupa a presidência do RPPS de Cáceres, a associação nasceu com o propósito de fortalecer a gestão previdenciária e disseminar conhecimentos técnicos e científicos sobre o setor. Além disso, segundo ela, a entidade também dará suporte aos associados na mediação de conflitos entre unidades gestoras e órgãos fiscalizadores.

De acordo com Luana, o maior desafio enfrentado pela Apremat foi concluir a regularidade da entidade sem ainda poder contar com um fundo financeiro suficiente para custear as despesas. “Nos últimos dias rodamos mais de cinco mil quilômetros para concluir um roteiro de visitas aos RPPS associados, quando tivemos condições de conhecer a realidade de cada município”, pontua a dirigente, acrescentando que os meios de comunicação eletrônicos tem facilitado a interlocução entre as partes envolvidas.

Atualmente a Apremat contabiliza onze RPPS associados, dos municípios mato-grossenses de Cáceres, Comodoro, Tangará da Serra, Alta Floresta, Primavera do Leste, Poxoréu, Campo Novo dos Parecis, Rondonópolis, Nova Mutum e Nobres, além do governo do Estado de Mato Grosso.

A presidente da associação nota que, embora o Estado de Mato Grosso registre um número grande de RPPS, “sabemos que a maioria deles é de pequeno porte, portanto realizar gestão de previdência complementar será um desafio. Porém contamos com o apoio dos técnicos e auditores do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, além da equipe da Subsecretaria de Previdência Social, os quais certamente auxiliarão os RPPS a minimizar tais desafios”. Luana afirma também que a previdência complementar ainda é um tema considerado tabu por muitos servidores públicos, e por isso o “diálogo e disseminação de conhecimento será essencial”.

Fonte: http://investidor-rpps.com.br